rosquinha-de-coco

Já percebeu como às vezes, só porque estamos fora de casa, nos pegamos consumindo alimentos que normalmente não consumimos no aconchego do lar? Aquela bolacha no pote, café fraco, suco com adoçante, molhos, doces, etc. Talvez nos tornemos mais exigentes em nossos lares, afinal temos tantas opções ao nosso alcance que a bolacha no pote vai ficando cada vez mais “passada” e, quando recorremos a ela em um ato de desespero, já está murcha e “com gosto de velha”. Mas há também outra possibilidade: de que a comida fica mais gostosa quando nos sentimos bem em um ambiente e estamos com as pessoas certas, com as quais nos sentimos à vontade.

É exatamente esse o fenômeno que acontece na Amusic: quando a Nara enche o pote de vidro com as rosquinhas de coco, os alunos e visitantes fazem a festa, vencem a barreira criada durante os anos de que as bolachas do pote têm sempre gosto de velhas e se viciam nas rosquinhas enquanto matam tempo e conversam com quem estiver na recepção.

Houve um dia, porém, que a Nara não encontrou as deliciosas rosquinhas e as substituiu por bolachas “maria”. Uma aluna logo reclamou das bolachas, disse que estava esperando pelas rosquinhas “logo hoje que eu queria tanto comer não tem!”. Já a avó de outro aluno interfonou, antes de entrar na escola, indagando se havia café fresco e rosquinhas, mas decepcionou-se ao saber que aquela era a semana das bolachas “maria”. Naturalmente há quem goste das tais bolachas, como a professora de piano. “Também gosto muito das bolachas maisena, sabe?”.

Uma semana se passou e eis que surge a pergunta: será que as rosquinhas já voltaram? Uma aluna subiu com a professora e a questionou sobre o assunto, outras meninas animadas anunciaram “as rosquinhas voltaram!”, todas enchendo mãos e bocas com as bolachas e saindo para brincar um pouco antes da aula. Ao fim do dia restavam somente algumas rosquinhas no pote que, no início da tarde, estava cheio até a tampa.

Será a fome que deixa as rosquinhas de coco melhores? Ou só uma questão de não estarem em casa, largadas em um canto qualquer? Bem, talvez seja isso tudo junto com o fato de todos estarem felizes, entre amigos.